Pesquisar este blog

quarta-feira, 1 de julho de 2009

CRISE MUNDIAL, GRIPE AVIÁRIA E MICHAEL JACKSON

CULTURA E POLÍTICA

REFLEXÕES A RESPEITO DE CRISES.

A crise mundial apresenta aspectos que devemos levar em consideração e refletir a respeito deles. Ela é uma crise do processo de globalização econômica que vivemos nos últimos anos, ou seja uma crise do capitalismo. Em primeiro lugar quem foi o país que mais se beneficiou com esse processo de globalização econômica? A única potência comunista existente no mundo de hoje, a China. Onde iniciou-se a crise econômica? Nas principais potências capitalistas do mundo (EUA e Europa). De onde se espera que possa vir a solução? Dos países emergentes, os BRICs (Brasil, Rússsia, India e China), cuja principal característica em comum são extensão e população. São os países que sempre foram a periferia do sistema, que sempre foram "orientados" a enfrentar os "seus" problemas populacionais, que hoje tem no tamanho de sua população o principal fator do seu desenvolvimento econômico. Que contradições!!!!

A gripe suína, ou Influenza a H1N1 vem aumentando em nosso país como era de se esperar. Por enquanto como a mortalidade tem sido baixíssima não ocasiona problemas. É interessante notar que como o EUA e Europa foram atingidos e em outros países, como no caso do Brasil, é principalmente a classe média alta e alta, fala-se na possibilidade de vacina. Quando eram os cuidadores de porcos mexicanos ou a gripe aviária na China (inclusive com uma mortalidade maior) não se falou nada disso. Que contradições!!!

O Michael Jackson morreu essa semana. Era uma gênio musical não resta qualquer dúvida, mas que vida complicada a dele. Como se não bastasse todos os detalhes da sua vida comentados na imprensa ele serviu para esconder o caso do Senado brasileiro que já ficou esquecido na imprensa e certamente da população brasileira. Certamente o Michael Jackson com essa não contava. Que contradição!!!

Assim, é importante termos os olhos bem abertos e atentos para sermos verdadeiramente críticos e nos tornarmos aptos a um protagonismo político com compromisso social como queremos.

3 comentários:

Cátia Goulart disse...

Muito boa a sua colocação. Temos que fazer Política SIM.
Uma Política Responsável.

Ewaldo disse...

A Casa dos Horrores, ou House of Horrors, segundo The Economist nomeou o Senado Federal, felizmente não foi ofuscada pelo falecimento do Michael Jackson. Incrível como o governo defende o indefensável. Já perdi a conta dos inúmeros escândalos: mordomo Secreta, neto finaciador, repasse para Fundação, mansão não declarada... Sir Ney superou Renan e os outrora petralhas defensores da ética agora só os acobertam, enquanto a população assiste indignada a mais um filme de terror. Mas não esmoreçamo-nos: vamos continuar que através do voto modificaremos esse cenário.
Ewaldo Aggrippino Mattos Jr.

Renato BF disse...

Pai,

parabéns pelas excelentes colocações!

Infelizmente vivemos dias de extremas contradições em nosso mundo, e por isso, se faz cada vez mais importante um local/grupo/comunidade onde possamos confrontar e dar juízo a tudo que nos acontece e acontece no mundo!

Sigamos em frente...

Forte abraço a todos

Renato BF